O que é inteligência emocional e como desenvolvê-la para suas finanças?

Sabe o que contribui para você fazer alguns gastos desnecessários e as temidas compras por impulso? Sua inteligência emocional. E sabe o que é capaz de mudar sua forma de enxergar seus ganhos e começar a prosperar nas suas finanças pessoais? Isso mesmo, é ela também.

Mas, afinal de contas, como sua inteligência emocional pode atrapalhar e ajudar, ao mesmo tempo, e, principalmente, como é possível desenvolvê-la e utilizá-la para garantir seu crescimento pessoal e profissional?

Neste post trazemos alguns conceitos, e claro, dicas que vão turbinar a forma com que você lida com suas emoções e comportamentos. Confira a seguir.

O que é inteligência emocional?

A inteligência emocional está relacionada à capacidade de identificar, avaliar e saber lidar com as próprias emoções e também ter um olhar para as reações das pessoas à sua volta.

Mas, quando o assunto são suas finanças, podemos focar a forma como suas emoções são identificadas e influenciam seus hábitos de compra, despesas e até investimentos.

É isso mesmo, se você é daquele tipo de pessoa que prefere juntar dinheiro debaixo do colchão de casa, pode saber que tem alguma emoção por detrás dessa escolha, boa ou ruim.

Seria uma falta de confiança nos bancos, ou, uma sensação de injustiça já que eles cobram juros e taxas altas de seus correntistas?

Por que ela é importante para sua vida financeira?

Você já tinha parado para pensar sobre como suas emoções afetam suas atitudes? Então, o que dizer sobre aquela compra por impulso só porque o vendedor disse que aquele smartphone combinava perfeitamente com o branco dos seus olhos?

Ajuda a controlar os gastos

Pois quando você tem o controle das suas emoções, percebe qual delas está batendo mais forte no seu coração e consegue racionalizar suas decisões e atitudes.

Motiva as boas atitudes relacionadas às suas finanças

Além de impedir que você afunde em compras desnecessárias, sua inteligência emocional também é um ótimo combustível para as boas atitudes relacionadas às suas finanças. Pagar contas em dia, fazer um planejamento financeiro ou fazer uma reserva de dinheiro, por exemplo, passam a ser prioridades.

Diminui seu estresse

Todo mundo sabe como é estressante estar com contas em atraso ou devendo alguém. São algumas ligações de cobrança ou situações constrangedoras que só aumentam sua tensão em relação à dívida, certo?

Colocando sua inteligência emocional a serviço das suas finanças, situações como essas ficam no passado, só para contar história.

O que é preciso para desenvolvê-la?

Então tá certo, se sua inteligência emocional está bem-desenvolvida, pode ajudar na vida pessoal, profissional, relacionamentos e finanças. Mas, se ela está abalada, é muito provável que seja a razão por muitos vacilos que você vai cometer, certo?

Então, aqui vão algumas dicas rápidas para desenvolver sua inteligência emocional:

  • repare e saiba identificar seus sentimentos nos momentos felizes e tensos;
  • tente controlar suas reações quando estiver com o nível de estresse, tristeza e raiva elevados;
  • respire com mais calma, medite, faça atividades físicas para liberar os hormônios que dão prazer ao seu corpo;
  • aprenda a lidar com a pressão dos problemas, não deixe ela lhe abater;
  • seja empático — sabendo colocar-se no lugar do outro, você conseguirá entender as atitudes dele;
  • faça uma resposta para o problema antes de reagir a ele, assim, você terá tempo para refletir e ponderar se está fazendo a melhor coisa.

Se você quer saber mais sobre sua inteligência emocional, também pode ler o livro do autor Daniel Goleman com esse mesmo nome, ou seja, “Inteligência Emocional”. Ele trabalha temas como as crenças que limitam nossas ações, o funcionamento da nossa mente em momentos críticos e outras informações gerais sobre o comportamento humano.

Percebeu como controlar suas emoções pode tirar você de algumas furadas? Então conte para a gente: além das finanças, o que mais na sua vida você precisa colocar em ordem usando sua inteligência emocional turbinada?

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on google
Google+
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos mais lidos:

Confira outros artigos em nosso blog: